Portal de Noticias Gospel Vida

gospel

Pastor questiona como cristãos podem assistir Game of Thrones

“Alguém pensa que quando Jesus advertiu sobre a cobiça, não falava de cenas de nudez?”, questiona Kevin deYoung.

Antes da estreia da nova temporada do seriado Game of Thrones, produzido pelo canal HBO, o pastor e teólogo John Piper fez uma crítica severa aos cristãos que possuem o hábito de acompanhar a história, sabidamente recheada de cenas de nudez e sexo.

 

Segundo Piper, todo cristão deveria se questionar sobre o pecado de “assistir nudez” e lembra que a morte de Jesus foi para purificar seu povo. “Se escolhermos apoiar, abraçar, desfrutar ou prosseguir na impureza, equivale a pegarmos uma lança e perfurar o corpo de Jesus novamente toda vez que fazemos isso. Ele sofreu para nos libertar da impureza”, asseverou.

Com os novos episódios batendo recordes de audiência e o programa continuar sendo o mais pirateado do mundo, o assunto voltou a ser debatido por teólogos.

O pastor e teólogo Kevin deYoung, do influente site reformado The Gospel Coalition reclamou: “estou espantado com o fato de um grande número de pessoas que eu respeito – pessoas inteligentes, cristãos sérios, bons pensadores conservadores – estarem, obviamente, assistindo (e amando) a série”.

 

Deixando claro que nunca assistiu o programa e saber “quase nada” sobre GoT, deYoung, pastor da University Reformed Church, em East Lansing (Michigan), e autor de vários livros, acredita que aquilo que viu na mídia foi o suficiente para deixa-lo preocupado com os cristãos que confessam gostar de ver sucessivas cenas de sexo e violência.

“Não entendo”, lamentou, e ecoando os argumentos de Piper, lançou o questionamento sobre o que os cristãos de modo geral chamam de entretenimento.

 

“Eu só quero fazer uma outra pergunta: Alguém realmente pensa que, quando Jesus advertiu contra olhar para uma mulher e cobiçá-la (Mateus 5:27), ou quando Paulo nos pediu para evitar toda indicação de imoralidade sexual e nem mesmo falar sobre essas coisas (Efésios 4: 3-12), de alguma forma eles estavam dizendo: tudo bem se você quiser ver homens e mulheres nus fazendo (ou fingindo fazer) sexo?”, disparou.

Segundo o teólogo, muitos cristãos não se sentem incomodados, mas ele insiste que a Bíblia deixa muito claro a importância do cristão manter sua pureza de pensamento e cuidar com o que seu olho vê.

“Há cristãos conservadores que se preocupam com o casamento, a moralidade e a decência em tantas outras áreas, mas é desconcertante que deixem Game of Thrones passar batido”, asseverou.

Ele finalizou dizendo que todos deveriam lembrar da admoestação bíblica: “Vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, remindo o tempo; porquanto os dias são maus” (Efésios 5: 15-16).

A posição de DeYoung rapidamente repercutiu no meio evangélico reformado, público-alvo do The Gospel Coalition.

O pastor Grayson Gilbert, mestre em Teologia pelo Moody Bible Institute, também decidiu entrar no debate. Em sua coluna no site Patheos ele aprofundou o tema, deixando claro que a questão não é apenas Game of Thrones, mas todos os programas e filmes que cristãos costumam assistir, seja em casa ou no cinema, que contrariam frontalmente os valores que essas mesmas pessoas defendem em suas igrejas.

Citando Romanos 12:1-2, Gilbert, fez um apelo semelhante ao de deYoung, pedindo que os cristãos “não se conformem com este mundo, mas sejam transformados pela renovação do vosso entendimento” também na hora de escolher formas de entretenimento.

No seu entendimento, não há como alguém que afirma desejar que sua vida seja para glorificar a Deus, possa passar tanto tempo consumindo material que em nada contribuem para que um cristão possa dizer que apresenta sua vida como “sacrifício vivo, santo e agradável a Deus” (Rm 12:1). Encerrou dizendo que essa é uma oportunidade para que todos que se chamam de seguidores de Cristo possam repensar as “pequenas coisas” que atrapalham sua caminhada com o Senhor.

Página:

http://www.radiogospelvidafm.com.br/noticia/gospel-/2017/08/10/pastor-questiona-como-cristaos-podem-assistir-game-of-thrones/3663.html