Plantão
Carros

Renault Kwid tem aumento de R$ 600 na versão intermediária

Publicado dia 07/09/2017 às 18h21min
O Renault Kwid ganhou um aumento de preço, mas apenas em uma versão, a Zen, que agora custa R$ 35.990,

O Renault Kwid ganhou um aumento de preço, mas apenas em uma versão, a Zen, que agora custa R$ 35.990, R$ 600 a mais que o valor proposto no lançamento do subcompacto, quando este adicionou o sistema de áudio ao pacote. Originalmente seu preço de pré-venda era R$ 34.990.

Com produção acelerada em São José dos Pinhais-PR, o Renault Kwid busca atender rapidamente a demanda que foi gerada pela grande campanha de marketing envolvendo o “SUV dos compactos”, que tem preço chamariz de R$ 29.990 na versão Life, que não tem ar-condicionado e nem direção elétrica.

O Renault Kwid nesta configuração, no entanto, vem com quatro airbags. O conteúdo é o mais básico possível e também não inclui vidros ou travas elétricas. Sistema de áudio então, nem se fala. Mas, o preço realmente é o que levou boa parte dos interessados à rede Renault, que viu um aumento expressivo nas visitas de clientes buscando o pequenino aventureiro.

Se a necessidade – não desejo, pois tais itens citados acima são obrigatórios para a maioria dos consumidores – for por uma opção com um conteúdo adequado, então a Zen é a primeira que aparece, adicionando assim os equipamentos citados, mas um rádio com Bluetooth, USB, auxiliar e o Apple Device Connectivity.

Por fim, a opção mais interessante em termos de equipamento é realmente a Intense, com a multimídia MediaNav 2.0 com navegador GPS e câmera de ré. Esta opção, que sai por R$ 39.990, ainda vem com faróis de neblina, rodas com calotas especiais, detalhes cromados, bancos personalizados, chave canivete e até conta-giros… Ele tem também computador de bordo, retrovisores elétricos, abertura elétrica do porta-malas e 2 alto-falantes, entre outros.

Com custo de manutenção bem lá embaixo, somando R$ 1.047 por três revisões nos primeiros 30.000 km, o Renault Kwid foca na simplicidade e boa capacidade para lidar com os desafios das ruas brasileiras, cheias de buracos, lombadas irregulares, depressões fora de qualquer norma homologada e muitas vezes sem um pavimento digno. Por isso, suspensão elevada e bons ângulos de ataque e fuga, pois o trânsito pode se tornar uma luta em certos caminhos “urbanizados”.

Mas, ainda assim, o Renault Kwid não demonstra qualquer aptidão em ocultar sua verdadeira face, a simplicidade. Nisso, percebe-se no acabamento extremamente enxuto e nos detalhes para reduzir custos, como o tal trio de parafusos das rodas, por exemplo. Podemos acrescentar que o isolamento acústico e o sistema antivibração, resumido em coxins de sustentação do motor, foram também colocados no mesmo plano. Leve como uma “pena” ele não é, mas passa longe dos mais magros do mercado. Assim, seu pequeno três cilindros 1.0 SCe com até 70 cv dá conta do recado.

Fonte: noticias automotivas