Plantão
gospel

Pastor preso na Coreia do Norte decorou 700 versículos na prisão

Publicado dia 13/09/2017 às 21h19min
Canadense considerou sua libertação do país como um “milagre”

O pastor canadense Hyeon Soo Lim ficou mais de dois anos preso na Coréia do Norte, um dos países mais fechados do planeta, forçado a fazer trabalhos braçais. Pela debilidade de sua saúde, no entanto, conseguiu retornar ao país de origem.

Segundo ele, nos quase três meses de detenção, era lhe comandado que abrisse buracos com um metro de profundidade no inverno. “O chão estava congelado. A lama era tão dura que levou dois dias para cavar um buraco”, contou.

“Minha parte superior do corpo suava; meus dedos das mãos e dos pés estavam gelados”, acrescentou o pastor, que também trabalhou no sol de primavera e verão por oito horas diárias.

“Um ano desse trabalho difícil causou problemas no meu corpo e fui internado no hospital por dois meses”, contou Hyeon, que ainda foi parar em clínicas por outras vezes.

O pastor somente soube que seria livre pouco tempo antes do anúncio, quando foi divulgado que o líder seria liberado por questões humanitárias. Tudo se deu, de acordo com o jornal britânico, depois que uma delegação canadense esteve no país, intermediando negociações.

“Eu acredito que [o líder norte-coreano] Kim Jong-un me liberou como um gesto de boa vontade diante de tanta retórica”, afirmou o pastor, que crê em sua libertação como um artifício para acalmar os ânimos entre a Coreia e os Estados Unidos.

Preso desde janeiro de 2015, durante seu momento de prisão, as autoridades canadenses tentaram prover sua libertação. Além disso, a embaixada da Suécia em Pyongyang, capital da Coreia do Norte, intermediou o processo.

O pastor afirmou que teve que ler muitos livros e filmes sobre o país. “Eu também li a Bíblia em inglês e coreano cinco vezes e memorizei mais de 700 versículos da Bíblia”, contou.

“Houve momentos de desânimo, ressentimento e resmungo que logo mudaram de coragem, alegria e ação de graças. É um milagre eu estar aqui hoje”, acrescentou o líder cristão.

Tudo se deu depois que o governo do país afirmou que libertariam o pastor pelos seus problemas de saúde. Ao voltar ao Canadá, Hyeon contou as dificuldades que passou para os fiéis e também à veículos como o The Guardian.

Fonte: gospel prime